programa

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA
ARQUITETURA E URBANISMO

DESENHO URBANO IV
Prof. Dr. Francisco Xico Costa

EMENTA
Projeto de parcelamento do solo. Definição de sistemas viários e de circulação. Modificação do relevo; aerofotogrametria e fotointerpretação. Projetos habitacionais na escala do bairro: definição urbanística das unidades habitacionais e equipamentos comunitários.

OBJETIVOS

  1. Dar continuidade e aplicação projetual às atividades didáticas ministradas dentro da área de Urbanismo e Planejamento Urbano e Regional;

  2. Aliar conhecimento teórico à prática projetual no espaço urbano sob o foco da sustentabilidade aplicada na arquitetura e no urbanismo;

  3. Estudo (iniciação) e definição de sistemas urbanos e infraestruturas, enfatizando sistemas eco-urbanísticos e de drenagem sustentáveis;

  4. Estudos de densidade urbana e a relação entre morfologia urbana compacta e dispersa;

  5. Avaliar e reconhecer as condicionantes e determinantes de projeto urbano (como topografia, clima, ambiência, bioclimatismo, interpretação de imagens de satélite, recursos naturais, entorno, entre outros) que atuam sobre a produção social do espaço, em especial, sobre áreas urbanas de interesse social;

  6. Induzir a análise crítica da conjuntura atual, aliando à Teoria e História do Urbanismo, à Arquitetura e ao Planejamento Urbano e Regional, conforme os procedimentos práticos de Projeto de Urbanismo

     

PROGRAMA GERAL

UNIDADE I – APREENSÃO [30hs aula]

1. Leituras.
2. Questões metodológicas.
3. Documentação.
Produtos: Participação + Atividades 1, 2, 3 e 4.

UNIDADE II – ANÁLISE [15hs aula]

1. Leituras.
2. Questões metodológicas.
3. Documentação.
Produtos: Participação + Atividades 5 e 6.

UNIDADE III – PROPOSIÇAO [45hs aula]

1. Leituras.
2. Questões metodológicas.
3. Documentação.
Produtos: Participação + Atividades 7, 8, 9 e 10.

 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
– participação;
– elaboração das atividades referentes a cada uma das Unidades;
– coeência da proposta final [Unidade III] com as informações, indicações conceituais e teóricas formuladas pela equipe nas etapas anteriores [Unidade I e II];
– qualidade e rigor técnico das apresentações.

 

PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES
[sujeita a ajustes durante o curso]

UNIDADE I

Atividade 1 – entrega e apresentação: 16/10/2014
LEITURAS E DISCUSSÕES

Obra de apoio: ROGERS, Richard. Cidades para um pequeno planeta. Editorial Gustavo Gili. Barcelona, 2001.
[> arquivo em PDF]

Parte 1. Descrever de forma sintética o conceito geral e os conceitos específicos aplicáveis à urbanização e defendidos por Richard Rogers nesta obra [capítulos 1, 2 e 3].

Parte 2. Utilizando texto e esquemas gráficos conceituais, comentar de forma sintética as possíveis relações entre as idéias de Richard Rogers e seu potencial de inserção no processo de elaboração da proposta de desenho urbano do seu caso de estudo [para os itens das Atividades 3 e 4].

Obs: utilizar outras obras que complementem, contradigam ou aportem diferentes pontos de vistas daqueles enfocados por Richard Rogers.

Atividade 2 – entrega e apresentação: 23/10/2014 [Internet] e 4/11/2014 [Campo]
RECURSOS ON-LINE + RECURSOS DE CAMPO

Registro de referências em Internet e nas visitas de campo para os itens das Atividades 3 e 4.
Visitas: 28 e 30 de outubro de 2014.

Atividade 3 – entrega e apresentação: 18/11/2014

A ÁREA DE ESTUDO, SUA VIZINHANÇA E A CIDADE: ASPECTOS RELACIONAIS

Explicar graficamente a relação entre a área de estudo proposta [Barra de Gramame] e a cidade [João Pessoa], destacando de forma sintética:

  1. Sistema viário.
    obs: articulação da área de estudo com o sistema viário urbano principal da cidade, segundo a lógica hierárquica, indicando as vias articuladoras da área de estudo com o restante da cidade; ex: vias expressas [vias de trânsito rápido com faixas de aceleração/desaceleração], vias arteriais [de nível inferior ao das vias expressas e destinada principalmente ao trânsito de passagem], vias coletoras/distribuidoras [possibilitando a circulação de veículos entre as vias locais e as principais].
  2. Transporte.
    obs: relação da área de estudo com o sistema de transporte público coletivo, indicando trajetos e paradas das linhas urbanas que servem diretamente a área e sua vizinhança [bairros limítrofes]; ex: utilizando o Googlemaps e o website da SEMOB [PMJP].
  3. Equipamentos Públicos Comunitários.
    obs: identificação dos principais equipamentos públicos comunitários [educação, cultura, lazer, saúde, etc] e seu potencial de acessibilidade com a área de estudo; ex: utilizando o Googlemaps indicar possíveis trajetos entre a área de estudo e centros educacionais, centros médicos, áreas de lazer [praia, praça, estádio, jardim botânico], nodais de transporte [rodoviária, aeroporto], etc.
  4. Uso do solo.
    obs: identificação de uso e ocupação do solo urbano predominantes [residencial, comercial, industrial, recreacional e institucional] da área de estudo e sua vizinhança imediata [bairros limítrofes]; ex: utilizando mapa de usos da PMJP e mapa de usos e ocupação do solo do entorno imediato da área de estudo.
  5. Equipamentos Públicos Urbanos [infraestrutura].
    obs: identificação e indicação dos equipamentos públicos urbanos existente na área de estudo e em seu entorno imediato [energia elétrica, água, telefonia, esgotamento sanitário, gás, etc].

Apresentação

A apresentação será em forma de seminário, conduzida pelo lider da equipe. Cada membro da equipe fará apresentação do item do qual é responsável. Obs: utilizar apontamentos e registros gráficos feitos “in loco” durante visita na área de estudo.

Formato:

[a] pranchas A2; [b] desenho à mão com uso de grafite, lápiz cêra e marcadores [hidrocores]; [c] indicação de escalas gráficas e norte geográfico. [d] comentários escritos [500 a 1000 caracteres] sobre cada um dos 5 itens estudados. [e] identificação da equipe e do coordenador de cada um dos 5 itens de estudo.

Atividade 4 – entrega e apresentação: 18/11/2014

A ÁREA DE ESTUDO E SUAS CONDICIONANTES AMBIENTAIS

Explicar graficamente a relação entre a área de estudo proposta [Barra de Gramame] e suas condicionantes ambientais, destacando de forma sintética:

  1. Topografia.obs: representação esquemática da altimetria e da planimetria da área de estudo através de duas seccões [leste-oeste e norte-sul] e uma planta com as curvas de nível [a cada 1 metro, destacando a cada 5 metros].
  2. Caminho do sol.obs: representação esquemática planimétrica da trajetória aparente do sol no solistício de inverno e verão e representação, em seccão, da posição do sol no solistício de inverno [23º 27’ ao Norte do Equador, às 12:00hs do dia 21 de junho] e no solistício de verão [23º 27’ ao Sul do Equador, às 12:00hs do dia 21 de dezembro]; esta inclinação pode ser calculada e representada sabendo-se que a latitude de João Pessoa é de 7º 6′.
  3. Caminho dos ventos.obs: indicar graficamente e de forma esquemática em planta o sentido dos ventos predominantes [indicando o nome do ponto cardeal de origem e nome do ponto cardeal de destino; ex: Sudeste-Noroeste].
  4. Caminho das águas.obs: considerando a topografia da área, indicar de forma esquemática em planta o sentido teórico que percorrem as aguas pluvias na área de estudo.
  5. Áreas de Proteção Ambiental.obs: a partir das informações documentais [cadastro, legislação, plano diretor, etc] identificar e representar os espaços que por sua localização, geomorfologia, vegetação, hidrologia ou característica especial mereça ser preservado, recuperado ou modificado tendo como objetivo a qualidade do meio ambiente.

Apresentação

A apresentação será em forma de seminário, conduzida pelo lider da equipe. Cada membro da equipe fará apresentação do item do qual é responsável.

Formato:

[a] pranchas A2; [b] desenho à mão com uso de grafite, lápiz cêra e marcadores [hidrocores]; [c] indicação de escalas gráficas e norte geográfico. [d] comentários escritos [500 a 1000 caracteres] sobre cada um dos 5 itens estudados. [e] identificação da equipe e do coordenador de cada um dos 5 itens de estudo. Obs: utilizar apontamentos e registros gráficos feitos “in loco” durante visita na área de estudo e documentação aerofotográfica.

 

UNIDADE II

[18 e 20/11/2014]
Aulas teóricas, estudos e discussão sobre a proposição conceitual de ocupação da área.

1. O sujeito como matriz do desenho urbano.
– cenários da rua [Anthony Vidler];

2. Identificação, espacialização e articulação dos elementos estruturantes.
– potencialização de usos;
– inclusão de usos;
– potencialização tipológica do sistema viário e do parcelário existente;
– articulação viária como dispositivo estruturante;
– aspectos funcionais das tipologias viárias e parcelárias;

3. Uso de projetos correlatos.

Atividade 5 e 6 – Entrega e apresentação: dia 25/11/2014

ESTUDOS CONCEITUAIS PARA A PROPOSTA DE OCUPAÇÃO DA ÁREA [Atividade 5] + PROJETOS CORRELATOS [Atividade 6]

Elaborar e apresentar de forma esquemática um estudo conceitual para o desenho urbano da área de estudo e seus respectivos projetos correlatos, para cada um dos seguintes itens:

  1. Referências e indicações conceituais da proposta.
    elaborar e representar um diagrama conceitual da proposta de ocupação da área, identificar e apresentar analogias da proposta com elementos da natureza e apresentar um ou mais projetos de referência [propostas implantadas que respondem total ou parcialmente aos conceitos defendidos pela equipe].
  2. Sistema viário.
    – representação planimétrica e de forma hierárquica e tipológica [ciclovias, pedonal, etc] das vias propostas, utilizando planta topográfica da área e indicando os principais condicionantes dos traçados.
  3. Proposta urbanística de parcelamento.
    – indicação das diferentes manchas tipológicas de uso e parcelamento da área de estudo [residencia unifamiliar, residencia multifamiliar, serviço, comércio, recreio, etc] e sua relação com o sistema viário, as condicionantes ambientais e de uso.
  4. Tipologias parcelárias.
    – definição e indicação esquemática da tipologia planimétrica e altimétrica de ocupação de cada mancha tipológica; ex: quadra retangular com área interna de uso comum e edificações de até 3 pavimentos.
  5. Modificação do relevo.
    – indicar os principais impactos propostas relacionados com a modificação do relevo existente.
  6. Outros aspectos considerados.

Obs: os projetos correlatos devem ser selecionados a partir de propostas construidas e que respondam total ou parcialmente aos conceitos defendidos pela equipe para cada um dos itens. Além dos comentários e da documentação gráfica necessária [croquis, plantas, secções, perspectivas, fotografias, etc], os projetos correlatos devem ser identificados com: autor, uso, local, cidade, país, ano, fonte das informações.

Apresentação

A apresentação será em forma de seminário, conduzida pelo lider da equipe. Cada membro da equipe fará apresentação do item do qual é responsável. Obs: utilizar apontamentos e registros gráficos feitos “in loco” durante visita na área de estudo.

Formato:

[a] pranchas A2; [b] desenho à mão com uso de grafite, lápiz cêra e marcadores [hidrocores]; [c] indicação de escalas gráficas e norte geográfico. [d] comentários escritos [500 a 1000 caracteres] sobre cada um dos 5 itens estudados. [e] identificação da equipe e do coordenador de cada um dos 5 itens de estudo.

Bibliografia:
ANDERSON, S. [Ed]. 1981. Calles. Problemas de estructura y diseño. Barcelona, Editorial Gustavo Gili.

 

UNIDADE III

Notas técnicas e desenvolvimento de anteprojeto.

[25/11/2014] – Desenho funcional da rua e do bairro:
– estrutura espacial da rua [Ellis]
– edifícios e ruas: configuração e usos [Schumacher]
– forma e uso da rua [Caliandro/Levitas]
– ruas e potencialidades de transporte [Wolf]
– ruas como artifício de comunicação e significado [Czarnowski/Agrest]
– projetar entre os edifícios [Eisenman]

[27/11/2014] – Notas técnicas para o desenho da rua e do bairro [natureza e indicadores]:
– topografia [curvas de nível];
– ventilação;
– isolação;
– escoamento pluvial;
– relação entre tipologias e custo;

[02/12/2014] – Notas técnicas para o desenho da rua e do bairro [habitação e equipamento]:
parcelamento;
– ocupação;
– densidade;
– gabarito;
– normativas.

[04/12/2014] – Notas técnicas para o desenho da rua e do bairro [tipologias]:
– parcelário;
– tipologias de ruas veiculares;
– estacionamentos;
– entroncamentos;
– vias para pedestres;
– ciclovias;
– vias de uso misto.

[09/12/2014] – Notas técnicas para o desenho da rua e do bairro [infraestrutura]:
– sistema de drenagem pluvial;
– sistema de abastecimento de água;
– sistema de esgotamento sanitário;
– sistema de energia elétrica;
– sistema de iluminação pública.

[11/12/2014] – Notas técnicas para o desenho da rua e do bairro:
– mobiliário urbano.

[03/02/2015] – desenvolvimento e acompanhamento das propostas
[05/02/2015] – desenvolvimento e acompanhamento das propostas
[10/02/2015] – desenvolvimento e acompanhamento das propostas
[12/02/2015] – desenvolvimento e acompanhamento das propostas
[19/02/2015] – desenvolvimento e acompanhamento das propostas
[24/02/2015] – desenvolvimento e acompanhamento das propostas

Bibliografia:
ANDERSON, S. [Ed]. 1981. Calles. Problemas de estructura y diseño. Barcelona, Editorial Gustavo Gili.
MASCARÓ, J. L., YOSHINAGA, M., 2013. Infraestrutura Urbana. Porto Alegre, Masquatro Editora Ltda.
MASCARÓ, J. L. 2013. Loteamentos Urbanos. Porto Alegre, L. Mascaró.

Atividade 7 – entrega e apresentação: 26/02/2015
ANTEPROJETO URBANÍSTICO
orientação:
apresentação e entrega:

Orientação complementar [até o encerramento do semestre letivo]:
terça e quinta de 7:00 às 9:00hs
quarta e sexta de 10:00 às 12:00hs
local: Sala LPPM

Prancha 1: capa do caderno

[a] esquema conceitual da proposta;

[b] identificação [disciplina, atividade, professor, equipe, instituição, curso, cidade, ano].

Prancha 2: índice [marcação em papel vegetal com visualização da planta geral]

[a] tipologias de vias e cruzamentos;

[b] tipologias parcelarias;

[c] praças;

[d] parada de ônibus;

[e] equipamento público.

Prancha 3: Planta Geral

[a] topografia [cinza];

[b] vias arteriais, coletoras, locais, pedonais, ciclovias, passarelas, calçadas, vias mistas [diferenciadas por cores];

[c] parcelario [quadras, lotes e projeção da ocupação];

[d] uso: residencia, comércio, serviço, equipamento público, praça, área verde, área de preservação [diferenciado por cores];

Prancha 4: via arterial

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] via, calçada, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Prancha 5: via coletora

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] vias, calçada, estacionamento, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Prancha 6: via local

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] vias, calçada, estacionamento, faixa de pedestres, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Prancha 7: mudança de direção de via arterial

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] vias, calçada, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Prancha 8: cruzamento via arterial x via coletora

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal e longitudinal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] via, calçada, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Prancha 9: cruzamento via coletora x via local

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal e longitudinal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] via, calçada, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Prancha 10: parada de ônibus

[a] segmento em planta;

[b] secção transversal e longitudinal correspondente ao segmento em planta;

apresentar: [a] via, calçada, recuo da edificação colindante, gabarito da edificação colindante; [b] solução de iluminação pública, distribuição de agua potável, sistema de esgoto, galerias pluviais, telefonia, mobiliário urbano.

Apresentação: caderno impresso no formato A3 e arquivos digitais de cada prancha no formato JPG; indicação de escalas gráficas e norte geográfico; comentários de 100 a 300 caracteres [tipo Arial 10p] sobre cada um dos itens apresentados; identificação da equipe e do coordenador de cada um dos itens de estudo.

OBS: indicar detalhes que serão apresentados no Caderno 2 [Unidades Habitacionais] e Caderno 3 [Mobiliário Urbano]

Atividade 8 [Unidade III] – entrega e apresentação: 26/02/2015
EQUIPAMENTOS E UNIDADES HABITACIONAIS
orientação:
apresentação e entrega:

APRESENTAÇÃO

1. BASE MORFOLÓGICA
Apresentação das diferentes tipologias de parcelas [quadras e lotes].
– prancha com todas as tipologias de quadras e parcelamentos;

obs: apresentação gráfica conforme > modelo de referência [A]; modelo de referência [B]

2. PROPOSTA NORMATIVA
Elaboração de documentação gráfica explicativa para cada uma das tipologias de ocupação de parcelas [quadras e lotes].
Ficha para cada uma das tipologias apresentando:
– indicação de usos;
– ocupação máxima e mínima;
– alturas totais máximas e mínimas;
– alturas dos pavimentos;
– recuos;
– perspectiva axonométrica isométrica da quadra com sua edificação máxima e mínima.obs: apresentação gráfica conforme > modelo de referência [A]; modelo de refrência [B

Formato da apresentação: caderno impresso no formato A3 e arquivos digitais de cada prancha no formato JPG ou PDF; indicação de escalas gráficas e norte geográfico; comentários de 300 a 500 caracteres sobre cada um dos itens apresentados; identificação da equipe e do coordenador de cada um dos itens de estudo.

Orientação complementar [até o encerramento do semestre letivo]:
terça e quinta de 7:00 às 9:00hs
local: Sala LPPM

Atividade 9 [Unidade III] – entrega e apresentação: 26/02/2015
ANTEPROJETO MOBILIÁRIO URBANO

orientação:
apresentação e entrega:

orientação complementar [até o encerramento do semestre letivo]:
terça e quinta de 7:00 às 9:00hs
local: Sala LPPM

1. Considerações Gerais

– o Mobiliário Urbano [MU] é constituído pelo conjunto de objetos, superpostos ou incorporados à estrutura viária e edificações, destinados a atenderem necessidades básicas e complementárias dos usuários do espaço público a ser urbanizado ou rehabilitado;

– o MU é de responsabilidade direta da administração municipal ou de empresas privadas mediante concessão;

– os elementos que constituem o MU se caracterizam por dar segurança, conforto, facilitar e incentivar o uso dos espaços públicos, melhorando a qualidade de vida dos habitantes e as relações sociais entre usuários e destes com o ambiente construido;

– o MU deve ser composto de objetos resistentes e econômicos sem que estas características comprometam o uso seguro, a funcionalidade e harmonia estética com as carcterísticas da estrutura urbana em que está inserido;

– o conceito de economia aplicado ao MU está fortemente ligado com a durabilidade e resistência do mesmo quanto ao uso e as condições atmosféricas mas também deve ser tido em conta o vandalismo;

– é preciso considerar a versatilidade do mobiliário para atender usos diversos como, por exemplo, bancos que servem para sentar mas também como plataforma para skatistas;

– as características do MU afetam fortemente a identidade visual do lugar e podem servir para uma maior legibilidade do espaço urbano.

2. Tipologias

Alguns tipos de MU de uso direto:
– bancos;
– cadeiras;
– mesas;
– bebedouros;
– suporte para anúncios;
– relógio;
– lixeiras [para calçadas e praças];
– contenedores de lixo [para recolhimento motorizado];
– luminárias;
– equipamento para exercício físico;
– abrigo para paradas do transporte coletivo;
– bicicletários;
– brinquedos;
– sinalização de praças;
– elementos artísticos;
– quiosque;
– wc.

Alguns tipos de MU de uso indireto:
– gradil protetor de árvores;
– inibidores/protetores de passeios [contra subida de carros];
– hidrante;
– tampas para a redes técnicas;
– grades de drenagem;
– sinais de tráfico.

3. Apresentação da proposta:
– utilizar cortes e plantas da Atividade 7 como índice do MU a ser utilizado;
– podem ser utilizados modelos pré-fabricados ou referências de mobiliário urbano utilizados em outros projetos sempre que se cite a fonte;
– podem ser utilizados modelos digitalizados ou imagem ilustrativas [foto, croquis, etc] para indicar o tipo e conceito do MU a ser utilizado;
– caderno impresso no formato A3 e arquivos digitais de cada prancha no formato JPG;
– indicação de escalas gráficas;
– comentários de 100 a 300 caracteres sobre cada um dos itens apresentados;
– identificação da equipe e do coordenador de cada um dos itens de estudo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s